O calendário diz que hoje é o teu dia, velho.

Fico a contemplar, com uma nesga de inveja,

os filhos colados a seus pais,

transitando de mãos dadas, orgulhosos,

trocando presentes e sorrisos.

 

E os olhares felizes das crianças

me dizem, me questionam:

Este é o meu pai, onde está o seu?

 

Não posso mais sair por aí contigo,

porque já não estás aqui para o meu abraço,

mas o meu orgulho, velho,

não é menor que o deles.

 

É provável que, neste dia,

estejas abraçado no pescoço de Deus,

a quem chamavas de Pai,

como eu chamo a ti.

 

Se o teu Pai for tão bom contigo

como foste para mim,

então o céu vale a pena.

 

Boas festas, meu pai!

Encantos e Paixões®

Com Autorização do Autor